Quem sou eu

Minha foto

Espírito imortal encarnado na Terra, adquirindo valiosas experiências enquanto pai(drasto) (de 6, em graduadas relações), marido (no 2º casamento. Que seja o último!), servidor público federal e ativista ambiental, entre outras aventuras... Estive por 8 anos no Acre, voltei ao meu amado Rio Grande do Sul, tornei ao Acre, cá estou.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Preparando pra 2013

Dia desses foi o encerramento dos grupos de estudo no Grupo Espírita Raio de Luz (Mostardas/RS). Foi um momento bem legal de confraternização, que começou com uma dinâmica de planejamento para 2013: desenhar o pé numa folha, e escrever dentro os passos a serem dados no "ano que vai nascer".
Compartilho o meu pé (esquerdo, que sou canhoto), que é pra poder ser cobrado e ajudado no cumprimento das metas:

Reportagem sobre o PNLP na RBS


Este vídeo faz parte de uma reportagem sobre o Parque Nacional da Lagoa do Peixe, veiculada recentemente no Jornal Zero Hora dum domingo desses. Tem eu falando das consequências da indisponibilidade de recursos que o ICMBio passou no 2o semestre desse ano.

Nada contra a linha editorial da RBS, que gosta de pregar o "fim do mundo" e a "inoperância do governo". Sendo o "quinto poder" (muitas vezes querendo ser o primeiro), quer dizer o que - e como - as coisas devem ser feitas. A reportagem abusa do sensacionalismo das imagens fortes, em tons escuros. Só porque viram alguns barcos pescando próximo à praia, e encontraram 2 ou 3 carcaças de golfinho/toninha apodrecendo, falam de descaso e abandono do "santuário ameaçado"...
Não é bem assim. O fato é que, realmente, as questões oceânicas não estão presentes na nossa gestão, o que temos feito é tentar salvar os animais - pinguins, lobos, tartarugas e aves - que chegam até a praia, e o saldo tem sido muito positivo.
O fato é que conservação do meio ambiente não é prioridade pra nenhum governo, e também não é pra população em geral, inclusive aqui no RS. Não vi repercussão alguma da reportagem aqui na região, tava todo mundo mais preocupado com o Grenal (CHUPA, Grêmio \o/ :^D), a despedida do Olímpico, o show da Madonna e etc...
A RBS - apoiada pelo publicitário que aparentemente "denunciou" o "descaso" - bem que podia fazer uma campanha divulgando e valorizando  as UCs no Rio Grande do Sul, patrocinando uma limpeza da praia quando tiver a escolha da "Garota Verão", nos ajudar a produzir material informativo sobre o Parque, um milhão de coisas realmente úteis. Mas parece que não está na pauta da emissora.

Kentinho e geladinha

Se um posto de beira de estrada não tem um desses, presta só metade do serviço...

domingo, 14 de outubro de 2012

Comer bem e barato, é aqui!

A visita dos amigos GG & Letícia e Fabiana & Zezinho (e respectivas crias Pedrinho e Clara & Caio) no feriadão me fez recordar uma das inúmeras "vantagens competitivas" da região do Parque Nacional da Lagoa do Peixe: comida farta e barata!
No sábado, almoçamos no restaurante Estrela do Mar, no Balneário Mostardense. Lá eles servem um "buffet livre", servido diretamente na mesa, com arroz, feijão, salada verde, banana com canela, peixe (papaterra) frito e camarão ao molho, uma excelente combinação (apesar de o feijão ter sido deixado meio que de lado). Não perguntamos o preço individual, mas pagamos R$150,00 para 7 pessoas, com algumas cervejas e refrigerantes. E nos empanturramos de frutos do mar, com duas rodadas de praticamente tudo, e mais um trepeteco de peixe e camarão, os pratos principais.
No domingo, antes do pessoal pegar a estrada, fomos almoçar na Churrascaria Flamingo. Espeto corrido por R$19,00. Carne boa, muita picanha, coraçãozinho "no balde", um salsichão apimentado muito gostoso, atendimento personalizado...
Lembrei ainda dos pratos com frutos do mar do JT, na volta da praça de Mostardas, entre R$8,00 e R$15,00, pra duas pessoas. Na praça tem muita coisa gostosa: as torradas da lancheria do Adão, os lanches da Bom Gosto.
No dia-a-dia, buffets livres entre R$10,00 e R$12,00. O meu preferido é o Restaurante da Nêga (R$10,00): um sagu delicioso, comida caseira (feijão "gordo", bem temperado)
Pizza, pra mim, é no Maresias, logo na entrada de Mostardas: Pizza na pedra. Meus sabores preferidos são camarão, marguerita e califórnia.
Em Tavares, outra pedida são os lanches do Totta's. Tem uma torrada de filé que é um espetáculo!
No verão, a pedida são os pastéis de camarão, siri e marisco. Não se iluda com a boa aparência dos estabelecimentos. Os melhores pastéis estão nos com cara de buteco...
Quando vier conhecer, experimente e outras delícias. E lembre de deixar aqui um comentário sobre elas.

micro-poema do autoconhecimento

Já estive muito perdido,
procurando me achar.
Hoje não me encontro tanto...

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Barra da Lagoa

Pobre flamingo,
não tem refeição.
Faltou camarão,
está morrendo à míngua.

Pinus

"Exótica" invasora,
Extremamente agressiva,
Precisa ser controlada!!!

Assim como o ser humano...

BR-101

Contei as centenas de insetos mortos no parabrisa...
Lembrei a dezena de animais mortos na beira da estrada...
Imaginei os milhares de mortos nos feriados...
E pensei: pra que tanta pressa?

domingo, 19 de agosto de 2012

Terapia

UAAAAAAAHHHHH! I'm alive!! (Again...)
Mais uma tentativa de manter este blog vivo. Mas, desconfio, que ele, sendo parte de mim (pequena exteriorização da minha mente), é como eu sou: intempestivo, inconstante, intermitente e inspirado...
E sendo como eu, interminável, também ;-D

Gente, a vida não tem sido fácil nessas paragens mais ao Sul do Brasil, e pouco mais ao Norte de onde meu umbigo foi enterrado (ou outro fim que tenha sido dado a ele, provavelmente o saiba minha mãe). O retorno tem sido assim como aparenta geometricamente: um giro de 180 graus. E não pode ser encarado como um retorno estrito senso porque o Pablo que retornou é deveras diferente daquele que foi, e apenas isso já valeria uma enquete com amigos e familiares, e um estudo de minha parte.
Enfim, aqui estou eu - a bem da verdade nós, porque a minha individualidade encontra-se profundamente imersa no coletivo conhecido por família - meio cá, meio lá (ou aí, dependendo de quem lê este texto), ainda em transição. Por mais que faça mais de ano que "deixamos o Norte", o Norte não nos deixou, e as adversidades do reestabelecimento, assomadas à saudade da "vida boa" que deixamos, pesam em momentos mais tensos, e chegamos a pensar " Pra quê tudo isso?", é bate uma vontade de voltar, até mesmo de nunca ter vindo...
O fato é que o núcleo familiar anda bem diferente: uma a mais, uma a menos, e outras duas em profunda transformação. Uma pela idade crítica, a outra pelos desafios que a mudança lhe impuseram. Eu? Pra mim, continuo o mesmo, com ligeiras alterações, minha fase de mudanças radicais já passou (até que venha outra, ou eu aprenda a manter um ritmo de aperfeiçoamento constante e gradativo). Me corrijam se eu estiver errado.
Tanta mudança que nos deixa meio sem chão, e as antigas referências - que não nos servem aqui, acabam sendo apenas lembranças, e ainda idealizadas pela distância é pela saudade - acabam por nós assombrar, e o "meia volta, volver" parece a solução mais acertada.
Tudo parece difícil: o tanto de roupa por cima (e sempre) , a frieza e a indiferença características dos gaúchos, a distância da família (pois acabamos ficando "nem lá, nem cá"), fazer novas amizades (ou de resgatar as antigas), o atendimento médico precário, a falta daquele apoio doméstico que só a Lenir sabia dar... Vamos sobrevivendo, meio partidos, bastante alterados. Mesmo a proximidade com a "família do Sul" parece um tanto ilusória, pois, por mais que nos vejamos com uma frequência infinitamente maior, acabamos não vivendo a família, apenas a visitando...
Também o trabalho, por mais que seja o mesmo, e quase uma repetição daquilo que já fiz lá (ou aí), se dá em condições bem diferentes, e como já não tem pra mim o peso e a importância de outros tempos (seja porque as prioridades são outras, seja por um certo desencanto ou desilusão com o serviço público), também não estimulam, não dão ânimo. Em reconhecimento, devo admitir que a turma aqui é grande e boa, e encontrei algo (melhor dizendo, algum) que sempre quis: um chefe companheiro. E que tem sido também um grande amigo e, porque não dizer, mestre.
AINDA ASSIM, me sinto satisfeito com as escolhas feitas: mentiria se não admitisse um desejo de voltar a Juruamar, mas não agora. Voltaria com um sentimento de derrota, teria um gosto amargo na boca e um sorriso amarelo nos lábios. Mas não é isso que me impede de querer voltar agora: acredito que precisamos viver nossas escolhas, acreditar naquilo que nosso coração intuiu como o melhor pra nós. Superadas algumas adversidades momentâneas, aceitas aquelas permanentes, passar esse tempo que nos cabe passar, pra daí pensar em "voltar", ou seguir adiante. O futuro, a Deus pertence!
Justiça seja feita, temos contado com vários apoios importantes, sobretudo do grupo de Amor Exigente da escola da Ana Clara, onde a família é o centro da discussão; além dos colegas do ICMBio; e, óbvio, de minha mãe querida, que, sei, sofre um tanto calada (outro tanto nem tão).
PS: o título do post se justifica pelo "por pra fora", pelo Amor Exigente, mas sobretudo - e chega a ser uma anedota familiar - por ter sido rascunhado enquanto eu lavava a louça acumulada de alguns dias. É muito importante ter-a-pia: lavamos a alma!

sábado, 14 de janeiro de 2012

Programação da TV no Android

Recentemente adquirimos um AZBox Bravoo+ HD, que liberou cerca de 150 canais de TV via satélite. Não é fácil administrar tantas possibilidades, daí fui procurar soluções Android para aproveitar melhor o potencial de tão vasta programação. Encontrei alguns aplicativos e páginas, aqui vai uma análise do conjunto de opções...

Hryun Guia TV
Bom aplicativo, extensa lista de canais, permite selecionar um conjunto de favoritos, verificar a programação dos próximos dias em cada canal isoladamente, tem alarme para os horários escolhidos. A ferramenta de busca permite vasculhar a programação dos próximos dias. Mostra a lista de programas no momento, mas geralmente também queremos saber o que vai passar, né? A tela não rotaciona, o que gera algum desconforto, principalmente em tablets. No meu Xoom, vez em quando dá uns forced close na hora de marcar um alarme.




Guia TV BR 
Em versão gratuita e paga (módicos R$2,31 para eliminar as propagandas e estimular o programador), foi o aplicativo com o qual mais me identifiquei: além das funcionalidades presentes no Hryun Guia TV (canais favoritos, alarmes), apresenta as próximas 3 atrações de cada canal, os filmes apresentam links do IMDb e uma sinopse, há uma aba com os destaques da semana (os melhores filmes da próxima semana em várias categorias), é possível compartilhar a programação nas redes sociais, possui filtro por categorias e por provedor (operadora), quando disponível, os horários  e canais alternativos da atração são indicados. Infelizmente ainda não busca as atrações na programação, e é principalmente por isso que eu mantenho o Hryun instalado.


Outros aplicativos
A Sky tem seu próprio aplicativo, também muito bom, restrito aos canais da operadora, mas muito completo (permite comprar atrações e muito mais). O compartilhamento foi o melhor que eu encontrei, e a programação é apresentada em formato de grade. No meu Xoom ela fica desencaixada dos cabeçalhos, mas ainda assim um bom complemento. Outra opção é o aplicativo Guia Telecine para Tablets, exclusivo dos famosos canais de filme. Fazendo uma última busca para esta postagem, encontrei o Guia de Programação da GVT TV, com um visual super moderno, seleção de favoritos, destaques é um tanto mais.
Um complemento interessante é o aplicativo da IMDb, que permite obter maiores informações sobre filmes, séries, atores, diretores, etc.
Como o ambiente Android é muito dinâmico, vale a pena acompanhar o desenvolvimento desses aplicativos, que atualizam-se constantemente. O aplicativo mediano de hoje pode receber uma grande atualização, e superar os concorrentes.

Outras opções
A programação em formato de grade é a visualização que me parece mais natural. Nenhum dos aplicativos Android que tenho utilizado a implementam satisfatoriamente, por isso lanço mão de uma alternativa disponível na Grande Rede: A grade de programação da TV do site Hagah. Ele permite escolher a operadora, apresenta uma grade com duas horas de programação, e tem setas de navegação, um excelente sistema de busca, sinopses. Se gerasse alarmes para o Google Agenda, seria matador. O site TVMagazine tem esta opção, mas exige registro, e paga-se cerca de quatro reais por mês pelo serviço (degustação grátis de 15 dias). Como site especializado, possui uma série de atrativos, mas a grade não é tão dinâmica quanto a do Hagah. Esta dá salto de 30 minutos, aquela apenas de duas horas.

PS: está postagem é mais uma tentativa de revitalizar este blog, e foi feito especialmente pros amigos do Apps Android, que estão procurando colaboradores pro blog. Espero que gostem do estilo, e me convidem.